Feliz Natal

Feliz Natal

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Pirilampo

Quero tanto ficar sem medo

Tanto como é o meu segredo

Que me levanto bem cedo

Escrevendo o meu próprio enredo

O vento

A tempestade da sentença

O alento

De um braço com crença

O abatimento

Da criança à nascença

Tudo isto me vem à mente

No corrupio avassalador

Que até por vezes fico doente

E sinto uma forte dor

A dor

Junto do arvoredo

O fervor

Que me levam ao degredo

O apedrejado

Que fico sem medo

A terra que vê a sua semente

Crescer nos trilhos do campo

Por onde passa a gente

E de noite vagueia um pirilampo

2 comentários:

Maria Inês Teixeira de Queiroz Aguiar Marçalo disse...

HÁ SEMPRE UMA LUZ, NEM QUE SEJA A DE UM PIRILAMPO...
BEIJOS MÃE E AVÓ.

Rebecca disse...

Mi convencimiento es que siempre tendremos en nuestros caminos una luz que nos ayude o nos guíe a seguir adelante.

besitos^^
y un fuerte abrazo^^

Passageiro