Feliz Natal

Feliz Natal

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Novos "Olhares"


Fugi de terras que tanto adorava
Para conhecer outras acolhedoras
Trouxe no olhar as árvores onde morava
Que na noite fria caíram sem dor

Caminhos percorridos entre montanhas e vales
Entre o verde que se desperta a cada momento
E no olhar aparece perfilado o novo olival
Da paisagem Alentejana no seu sofrimento

Novas palavras com cantos diferentes
Olhares com sorrisos bem abertos
Distancias que se perdem no tempo
Alentos de novas gentes

Aproximo-me da varanda revejo a paisagem
Tentando ver o que deixei para trás
Se abre deste lado uma nova imagem
Do que se pode sonhar sem voltar atrás

Uma estrada de descobertas
Um rio que não sei onde vai dar
Aconchego-me nas minhas cobertas
E deixo-me adormecer neste novo lar

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

A última viagem


A última viagem
Caí em mim sentado no parapeito da janela
Onde o nevoeiro me toldava a vista já fraca
Sem saber se caía
Ou me erguia
Desta agonia
Mais uma vez parto para parte incerta
Onde os sonhos continuam sem sentido
Ou quem sabe seja o fim do caminho
Levo no olhar como disse fraco a Amizade
Um bolso cheio de nada nem de sonhos
Mas parto para parte incerta de certeza
Sempre com a mesma firmeza com que cheguei
Do nada e nada levarei além da Amizade
Esta não se vai nem me deixa partir
Ficará aqui um pouco de mim e quem sabe se voltarei
Sei que isso não vai acontecer
Porque sinto dentro de mim que é o fim

“Meu coração da cor dos rubros vinhos Rasga a mortalha do meu peito brando E vai fugindo, e tonto vai andando A perder-se nas brumas dos caminhos. “ Florbela Espanca

Serei palhaço ou talvez não neste meio do sargaço
Dentro de algo sem fim á beira do mar onde me senti
Se me pergunto se quero partir não sei mas sei que não vou ficar
E neste dilema tão grande de mochila às costas e com filhos pela mão
Vou sair da beira do mar para entrar na planície
Onde por certo terminarei a viagem da minha vida
De mochila eu sei
Foi assim que comecei

Passageiro