Feliz Natal

Feliz Natal

sábado, 14 de maio de 2016

Tardes Ribatejanas


Vento que te impede de voar
Vento que te ajuda a adormecer
Vento que trás musica de encantar
Vento e só vento
Uma tarde como tantas outras
No sossego desta casa
No emaranhado de palavras soltas
Que pouco a pouco se vaza
Procuro uma música desaparecida
Duns sons que outrora ouvira
Entre o desperta de um sonho
E dum chilrear de cotovia
Cerro os meus olhos e descanso
Ouço os passos de uma criança
Numa cadeira onde dou balanço
E no ir e vir olho a Lua e o terraço
E lá longe o mar esse manso
Uma vela empurrada pelo vento
Umas quantas azinhas pelo ar a esvoaçar
Na procura de alimento e não de lar
Esse mesmo por detrás do terraço
Onde a criança brinca e volta ao meu regaço
Nos seus cabelos lisos
Eu me revejo
Afinal já fui criança
No seu olhar meigo e maroto
Ora parado ou mesmo solto
Procura por debaixo da mesa
Um brinquedo mesmo pequeno
Mas sem medo
Tropeça e um gemido sai
Assim são as tardes no Ribatejo

Aqui mesmo por detrás do terraço

Sem comentários:

Passageiro