Feliz Natal

Feliz Natal

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Os dias mais longos...frios


A morte bateu à porta, num dia de tanta agonia.
Era tarde, nem sabia, se tinha ido o dia.
Magoei, eu sei, sinto isso dentro de mim.
Mas espero que não tenha sido mesmo o fim!
Nesta casa quadrada, quase sem nada,
Nem ventos nem gemidos, eu, só e a morte.
O calor já aperta, ou certo já nem isso me afecta.
As camas vazias, a sala desfeita e cozinha aberta.
Preso por fio na esperança da vida, um grito abafado
Sabendo eu que ninguém me ouvia nem o cão que latia.
Na rua sem gente, sem nada, sem sorriso, um lamento.
Os dedos tremem, o coração chora a toda a hora, sem saber o que fazer.
É a maior espera, aqui neste meu porto de braços atados e palavras de medo.

Que amanhã me perca….
Ou que alegria volte...

Sem comentários:

Passageiro